NoA

Composto por Nuno Costa nas guitarras, Óscar Graça no piano e teclados e André Sousa Machado na bateria e percussão, NoA é um trio à vista desarmada. Soa a sexteto, desdobra-se facilmente numa orquestra. O teclado trabalha às ordens do piano e do inexistente baixista, a bateria acumula funções com a percussão, e a guitarra multiplica-se e viaja por todo o espectro auditivo.

Desde 2012 o grupo tem feito concertos por toda a Península Ibérica, desde clubes a festivais, e vem trabalhando um som muito próprio num estilo especialmente difícil de descrever – nasce no jazz, passeia-se pelo rock, pela pop, pela canção portuguesa, e desagua constantemente em sítios imprevisíveis. O groove é a directriz principal e a forma muito flexível, escapando-se frequentemente a todos os cânones clássicos.

Com uma sonoridade elegante, personalidade musical bem vincada e melodias bem delineadas, este projecto procura assim estabelecer uma estética de fusão entre a contemporaneidade da música cosmopolita e a tradição da música improvisada com origem no jazz.

Evidentualmente, trabalho editado em março de 2020, assinalou a estreia deste grupo em disco e está nomeado para Melhor Disco de Jazz nos Prémios Play.